O Escritor

O segredo de um bom escritor é ser um bom observador, viver bem a sua vida (com amplitude e profundidade, breadth & depth), ter boa memória e ter criatividade e sensibilidade para saber quando aproveitar em um texto as observações e vivências presentes na memória.

Manejar bem as tecnicalidades da língua é importante, mas não tanto. Há sempre quem revise o texto da gente nesse aspecto. Haja vista Napoleão Mendes de Almeida, que sempre produziu textos corretíssimos, do ponto de vista da linguagem, mas nunca produziu, que eu saiba, um texto que dá prazer ler.

Mas ninguém substitui as vivências, as observações, as memórias e a criatividade para por tudo isso junto num texto que fascina e entretém, como a gente encontra em um Lev Tolstoy, um Thomas Mann, um Graham Greene, um Joseph Conrad, um Gabriel Garcia Marquez, uma Doris Lessing, uma Ayn Rand, um Mário Vargas Llosa, uma Isabel Allende, um Jorge Amado… Todos eles merecedores de um Prêmio Nobel de Literatura, embora só Thomas Mann (1929), Gabriel Garcia Marquez (1982), Doris Lessing (2007) e Mário Vargas Llosa (2010) tenham ganho.

O resto, quanto ao Prêmio Nobel mais próximo do hoje em dia, é só política. Leiam Irving Wallace, The Prize.

Em São Paulo, 22 de Novembro de 2020



Categories: Writers, Writing

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: