11/11/11

11/11. O ano é 2017.

Ao perceber a data de hoje, deu-me curiosidade de saber o que eu estive a fazer no dia 11/11/11.

A minha generosa agenda eletrônica não me falhou…

Em 11/11/11, uma sexta-feira, eu estava em Washington, DC, no último dia de uma estada destinada à participação em um evento global da Microsoft na área da educação que foi de terça a quinta-feira (8 a 10/11). Na sexta, eu voltaria para SP à noite (como de fato voltei) — e, por isso, tirei o dia para passear e fazer umas comprinhas…

Estava hospedado no magnífico J. W. Marriott Washington, DC, na 1331 Pennsylvania Avenue (avenida em que, no número 1600, fica a Casa Branca), esquina com a 14th St. NW, bem na frente da Freedom Plaza, próximo do chamado National Mall, bem no coração de DC.

http://www.marriott.com/hotels/travel/wasjw-jw-marriott-washington-dc/

O histórico Ford’s Theater fica quatro quarteirões a Leste, no mesmo bloco, na 10th St NW. Foi ali que Abraham Lincoln foi assassinado em 14 de Abril de 1865. A Microsoft teve sofisticação mais do que suficiente para agendar um evento no próprio teatro, para que gente do mundo inteiro pudesse conhecê-lo. Magnífico em seu luxo até hoje, o teatro.

Na esquina da E St. NW, que dá continuidade ao que seria a continuidade da Pennsylvania Avenue, se ela continuasse reta (ela vira à direita em 45 graus para ir até o Capitólio) e da 12th St NW havia uma gigantesca livraria da Barnes & Noble, que eu visitava diariamente… Comprei vários livros ali naquela semana. Infelizmente, o site YELP diz que ela foi fechada — provavelmente vítima da concorrência (leal) da Amazon… Não diz quando.

https://www.yelp.com/biz/barnes-and-noble-washington-3

Naquele dia 11/11/11 saí do hotel, de manhãzinha e fui a pé até a pitoresca Georgetown, via Constitution Avenue. Uma longa caminhada (3,5 mi, mais ou menos 5 km). Andando, no meu ritmo, daria uns 50 minutos — isto se eu não parasse aqui e ali, como o faço.

Fiquei por lá mais ou menos uma hora e de lá peguei o Metrô, por volta das 11h (segundo minha agenda) e fui para o Pentagon City Mall — um gigantesco shopping center numa das cidades satélites de Washington. Fiquei umas três horas lá, onde almocei, comi um cookie de sobremesa (meu favorito: oatmeal & raisins), e voltei para o hotel por volta das 15h. Tinha de arrumar minhas malas (late checkout, naturalmente) para acomodar as coisas que comprei. Infelizmente, não registrei na agenda o que foi.

Às 18h, hora do meu late checkout, peguei o carro que a Microsoft tinha deixado à minha disposição para me levar ao aeroporto, e fui para o Dulles International Airport. Espera no Red Carpet Club. Às 23h peguei o avião da United para SP.

Gosto de manter minha agenda bem informada para, de vez em quando, exercer minha veia de cronista escrevendo um relato como este.

Foi isto que fiz em 11-11-11, seis anos atrás. Parece que faz um século. Se não tivesse registrado os detalhes, nunca me lembraria.

Mais alguns detalhes. Cheguei no domingo, dia 6/11.

Na segunda-feira, dia 7/11, saí para bater perna até às 13h. Fui até o Columbia Heights Shopping Complex, ao Norte do hotel. Peguei o metrô para ir e voltar, por causa da variável tempo. Às 14h houve uma “Judge’s Workshop” no hotel, para os juízes. Eu era juiz de uma competição que seria premiada no último dia.

A abertura oficial do evento foi na noite da segunda-feira, dia 7/11: “Opening Reception: American History Museum”. Para ninguém colocar defeito…

No dia 8/11, terça-feira, à noite, foi o “Judges Dinner”, na Charlie Palmer Steak.

No dia 9/11, quarta-feira, os brasileiros foram levados pela Microsoft Brasil para jantar. Infelizmente, não registrei onde.

No dia 10/11, quinta-feira, foi o encerramento do evento, com o “Grand Gala Dinner”, no salão de baile do próprio hotel.

Vou transformar este post em um post de meu blog Eduardo Chaves Space. Ele originalmente foi planejado e escrito como um post no Facebook. Isso significa que, para alguns, ele pode aparecer na minha Timeline no Facebook duas vezes. Antecipadamente peço desculpas a esses…

Bons tempos… Ou, como dizia meu pai,  “Tempos que não voltam mais” (título de uma crônica dele lida na Rádio Tupi na década de 50). Ele falava da infância dele em Patrocínio, MG, nas décadas de 1910-1920…

Em São Paulo, 11 de Novembro de 2017.

Advertisements


Categories: Autobio, Autobiography, História, History, Memórias, Memories, Travel, Viagens

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: